FCR Advocacia
FCR Advocacia
FCR Advocacia

Arquivo mensais:outubro 2014

Irmãos compram 40 motos em leilão e dizem que Detran não as regularizou

Publicado em 31 de outubro de 2014 11:27

Falta de documentação dos veículos impede revendas, dizem irmãos.
Direção do Detran diz que problemas em processo serão solucionados.

Os irmãos mecânicos Jardison da Silva, de 35 anos, e Joel da Silva, de 41 anos, dizem que investiram mais de R$ 40 mil na compra de 40 motocicletas num leilão do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), em abril de 2014. Eles afirmam que o órgão estadual não repassou os documentos dos veículos, que seriam revendidos na oficina da qual Joel é dono, no bairro Trem, Zona Sul de Macapá. A direção do Detran disse que não tem conhecimento sobre o caso, e ressaltou, porém, que serão solucionados possíveis problemas no processo, caso sejam identificados.

Jardison e Joel dizem que o Detran repassou aos arrematadores uma autorização para que as motos pudessem trafegar somente no estado.

“Respeitamos todo o regulamento para liberarem as motos. A norma do Detran estava dizendo que os documentos seriam entregues em 30 dias, mas, até agora, nada”, reclamou Jardison da Silva. “Foi um investimento que só está dando prejuízo”, reforçou Joel.

Os irmãos dizem que alugaram as motocicletas para empresas que trabalham com entregas em domicílio. Eles estão impedidos de revender os veículos por causa da falta de documentação.

“Não param de chegar multas porque as motos estão no nosso nome, mas não podemos deixá-las paradas e termos mais prejuízos. O dinheiro fica empatado. A maioria das motos está rodando [circulando] só por causa da autorização do Detran. É muito prejuízo”, reclamou Joel.

O diretor do Detran, José Aurivan, disse que o órgão entrará em contato com os irmãos para identificar as possíveis causas do atraso no envio dos documentos dos veículos adquiridos no leilão.

“Se forem veículos financiados, a financiadora pode ter deixado de pagar alguma taxa necessária. Enquanto isso não acontece nós ficamos impossibilitados de fazer todos os procedimentos. Ainda precisamos estudar esta situação em especial”, falou Aurivan.

Leilões
Os veículos leiloados em abril haviam sido retidos em fiscalizações realizadas nos últimos cinco anos, segundo o diretor do Detran. “Como os proprietários perderam o prazo ou não tiveram interesse na regularização, os carros e motos permaneceram retidos no pátio do departamento”, reforçou.

Fonte: http://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2014/10/irmaos-compram-40-motos-em-leilao-e-dizem-que-detran-nao-regularizou.html

Pela segunda vez em 2014, motorista é preso por embriaguez em Penedo

Publicado em 31 de outubro de 2014 11:13

Em junho deste ano, ‘Careca’ foi preso por embriaguez ao colidir na traseira de um veículo

Em menos de quatro meses, um condutor foi preso por embriaguez ao volante no município de Penedo. E ainda, as prisões aconteceram na mesma Avenida Antônio Cândido Toledo, parte alta do município, onde Dervaci Falcone, também conhecido por ‘Careca’, reside e possui um restaurante.

Na tarde desta quarta-feira (29), momento que policiais militares e civis registravam um homicídio e preservavam a cena do crime, próximo a Penedo FM, o motorista passou pela barreira realizando manobras arriscadas, o que terminou chamando a atenção de todos.

Uma viatura se deslocou em pequena perseguição, quando o abordou e constatou que Dervaci que conduzia um Fiat Siena de cor vermelha e placa NLZ-3006, estava mais uma vez com o seu veículo alcoolizado.

Reincidente, o suspeito foi preso e conduzido para procedimento na 7ª Delegacia Regional de Penedo, onde os procedimentos cabíveis foram adotados. Por ser a segunda prisão em menos de 12 meses, a multa agora é de R$ 3.830,80. E sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) já estava recolhida desde junho.

Em junho

Na noite do dia 27 desse mês, ‘Careca’ seguia sentido Toca do Índio, ao Trevo do Bom Jesus, guiando o seu Fiat Siena quando colheu por traz, o Fiat Pálio de cor cinza e placa IAk-4275, pertence a Antônio Lorenzo dos Santos. A colisão provocou apenas danos materiais.

 

Fonte: http://aquiacontece.com.br/noticia/2014/10/30/pela-segunda-vez-em-2014-motorista-e-preso-por-embriaguez-ao-volante-em-penedo

Órgãos de trânsito de Blumenau apontam que aumento nas multas é a solução para diminuir a violência

Publicado em 31 de outubro de 2014 11:11

Diretor de Trânsito do Seterb, Fábio Campos da Silva, acredita que o aumento nas punições é a solução imediata

A lei que reforça o rigor na fiscalização de trânsito e a partir de sábado começa a valer no país começa a repercutir na região de Blumenau. Para o diretor de Trânsito do Seterb, Fábio Campos da Silva, a medida que em alguns casos aumenta em 900% as punições por infrações de trânsito, soma-se a outras medidas importantes na cidade como as lombadas eletrônicas e radares estáticos.

Em geral, a lei de autoria do deputado federal Beto Albuquerque (PSB) aumenta o rigor para as ultrapassagens indevidas e para a prática de rachas e corridas não autorizadas. Na avaliação do diretor do Seterb, a única maneira de dar uma resposta imediata à sociedade é através do aumento na cobrança de valores.

— Atualmente não há outra forma de trabalhar a situação. Podemos pensar em uma política que coloque a disciplina Educação para o Trânsito nas séries iniciais. A partir daí, conseguiremos mudar essa realidade em 15 ou 20 anos — avaliou o gestor.

Confira o que muda a partir de sábado no trânsito:

Motoristas das rodovias também devem sentir impacto
Levantamento recente feito pelo Santa mostra a colisão frontal como a campeão na lista das causas de acidentes com morte na BR-470. O policial rodoviário federal Daniel Veloso que atua no posto da PRF em Blumenau avalia como positivo qualquer tipo de alteração na lei que aumente as penalidades aos infratores.

— Sempre que se fragiliza as leis, você dá espaço para a criminalidade. No trânsito é a mesma coisa. Quando se endurece as leis, o sujeito vai pensar mil vezes antes de dirigir caindo (de bêbado) — avaliou o policial.

Foco é nas ultrapassagens indevidas e rachas
Em comunicado, a assessoria de comunicação social do Ministério das Cidades, informou que “o objetivo das mudanças é aumentar a segurança dos motoristas, pedestres e das infraestruturas urbanas em uma combinação de medidas que inclui a cooperação nacional, a partilha de boas práticas, a realização de estudos de investigação, a organização de campanhas de sensibilização e a adoção de regulamentação. A intenção é incentivar os motoristas a conduzirem os veículos de forma segura. Por este motivo, é fundamental educar, formar e fazer cumprir as regras.”

 

Fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/noticia/2014/10/orgaos-de-transito-de-blumenau-apontam-que-aumento-nas-multas-e-a-solucao-para-diminuir-a-violencia-4632255.html

Corregedoria do Detran encaminha ao MP parte de investigação sobre irregularidade em transferência de veículos

Publicado em 31 de outubro de 2014 11:08

“AN” denunciou em setembro que por quase três anos, carros acidentados comprados em outros Estados podem ter sido transferidos sem o registro de dano no documento

A promotoria de Defesa da Moralidade Administrativa de Joinville que abriu inquérito civil para apurar irregularidades na transferência de veículos no Departamento Estadual de Trânsito de Santa Catarina (Detran-SC) solicitou uma cópia do procedimento inicial de investigação que está sendo realizado pela corregedoria do órgão público.


Apesar de conter 600 páginas, o documento é superficial. Como o Detran ainda está fazendo auditorias nas Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) de todo o Estado e não concluiu a investigação, o Ministério Público vai aguardar o relatório final para realizar alguma diligência. A comissão de servidores que investiga o caso já esteve na Ciretran de Joinville.

A irregularidade investigada pelo MP desde o início do mêsfoi denunciada pelo “A Notícia” em 13 de setembro. A reportagem mostrou que o Detran-SC pode ter deixado de cumprir a resolução 362 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) por quase três anos. A norma, publicada em 2010, obrigava todos os Detrans do País a informar o número do Certificado de Segurança Veicular (CSV) _ que corresponde à vistoria de veículos recuperados de acidente aprovada pelo Inmetro _ no campo de observação do documento.

A determinação pode ter sido descumprida até meados de 2013, quando a gerente de registro e licenciamento de veículos, delegada Alina Zimmermann Largura, tomou conhecimento da falha. Um e-mail, ao qual “AN” teve acesso, foi enviado a todos os servidores do órgão solicitando o cumprimento da resolução. A gerente ainda permitiu que a transferência dos veículos ocorresse sem a informação do CSV por mais 45 dias, pois já havia várias processos em andamento.

Após três meses de investigação, a reportagem comprovou que um carro batido vendido em leilão foi transferido de São Paulo para Joinville sem a informação do dano sofrido pelo veículo no documento. A denúncia feita pela reportagem mobilizou o inquérito civil aberto pelo Ministério Público, investigação da corregedoria do próprio Detran e investigação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que assim como o MP, aguarda informações da corregedoria.

 

Fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2014/10/corregedoria-do-detran-encaminha-ao-mp-parte-de-investigacao-sobre-irregularidade-em-transferencia-de-veiculos-4632675.html

Jovens que fizeram manobras no gramado da Prefeitura de Joinville são denunciados e viram réus em processo

Publicado em 31 de outubro de 2014 11:07

Ministério Público responsabilizou os envolvidos pelo crime de dano ao patrimônio

A “brincadeira” virou caso de polícia e, agora, já tem consequências também na Justiça. Indiciados pela Polícia Civil por invadirem o gramado da Prefeitura de Joinville e fazerem manobras em dois carros no terreno, no último mês de maio, três jovens foram denunciados pelo Ministério Público por envolvimento no episódio.

Como a denúncia foi recebida na última semana pelo juiz da 2ª Vara Criminal, Gustavo Aracheski, o trio passou a ser réu no processo criminal. Rafael Santos Paz, 26 anos, Guilherme Ferreira Zattar, 26, e Gustavo Adolpho Schuelter, 28, respondem pelo crime de dano ao patrimônio, com o agravante de ser patrimônio do município.

A pena prevista varia de seis meses a três anos de detenção, além de multa. Rafael ainda foi denunciado por violar a suspensão do direito de dirigir, com pena prevista de seis meses a um ano. Conforme a denúncia do MP, Rafael dirigia uma GM/Tracker e Gustavo estava a bordo de uma caminhonete Ford Edge.

—Invadiram as calçadas que margeiam aquela avenida, subiram nos jardins que tornam a entrada principal do edifício e, então, realizaram diversas manobras com os veículos, causando os danos por marcas de pneus — anotou a promotora Rosemary Machado Silva.

O prejuízo da Prefeitura, segundo a denúncia do MP, foi de R$ 10.256,40 para recuperar o gramado numa área de 325 metros quadrados. Guilherme foi responsabilizado por gravar a movimentação dos carros (o vídeo chegou a ser publicado numa rede social).

—Com a nítida intenção de gabar-se e promover o ato de vandalismo que praticavam, registrou o evento, sob risos e incentivos aos outros dois denunciados, anuindo e integrando o ato ilícito — descreve a denúncia.

Os três acusados serão intimados a apresentar defesa à denúncia. Como ainda não há advogados nomeados no processo, a reportagem não pôde apresentar as versões de defesa.

 

Fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/joinville/noticia/2014/10/jovens-que-fizeram-manobras-no-gramado-da-prefeitura-de-joinville-sao-denunciados-e-viram-reus-em-processo-4632239.html

Moradores do Norte da Ilha programam bloqueio da rodovia SC-401 para esta quarta-feira

Publicado em 29 de outubro de 2014 17:42

Manifestação pede a instalação de passarela de pedestres em trecho onde uma jovem morreu em 17 de outubro

Um pequeno de seis meses vai no colo. Os outros dois, de quatro e dois anos, estão agitados ao redor. Sob o sol forte e o calor do asfalto quente das pistas da SC-401, a avó Amélia de Barros, de 45 anos, se vira como pode para manter os netos quietos até a chegada do ônibus.

Naquele ponto da rodovia, no Norte da Ilha, próximo ao Terminal de Canasvieiras (Tican) e do elevado de acesso às regiões da Vargem do Bom Jesus, Ingleses, Rio Vermelho e Santinho, uma menina de 17 anos, grávida, morreu no último dia 17.

Temendo o perigo gerado pelos carros, que passam acelerados no trecho, Amélia optou pelo ônibus para atravessar ao outro lado, onde está o Posto de Saúde do bairro, o armazém, o próprio terminal e o Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

— Tenho que pegar o ônibus ou me arriscar na rodovia. Mas tem morrido muita gente aqui. Não é seguro — diz a moradora.

Vai ter novo protesto hoje

O trajeto de aproximadamente 50 metros poderia ser feito a pé se no local tivesse uma passarela de pedestres, motivo de repetidos protestos da comunidade da região. Nos 20 minutos que precisou esperar pela condução, foram 10 pessoas que se arriscaram atravessando as quatro pistas da SC-401, passando por uma brecha no guardrail.

Devido ao risco de acidentes, o líder comunitário da Rua Papaquara, Marcelésio Maria da Silva, prevê um novo fechamento da rodovia, nesta quarta-feira, às 19h.

— Somente este ano morreram seis aqui neste ponto. As pessoas não têm como atravessar e por isso nós vamos bloquear as pistas toda segunda, quarta e sexta até construírem uma passarela aqui — avisou Marcelésio.

Prefeitura precisa viabilizar terreno 

Há uma semana, representantes do Deinfra, da prefeitura de Florianópolis e da comunidade local se reuniram para tentar resolver um impasse. Da parte do Deinfra, que seria responsável por elaborar projeto e licitar a obra, resta apenas a liberação dos terrenos de cada lado, necessários para construção das rampas de acesso.

— Assim que a prefeitura der o aval, vamos realizar o estudo de solo para viabilizar a obra, mas até hoje (terça-feira) não tivemos retorno — disse o diretor do órgão, Paulo Meller.

O secretário da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ronaldo Brito Freire, que presidiu a reunião em nome do prefeito Cesar Souza Junior, informou ontem que o vereador Edinon Manoel da Rosa, o Dinho, vai na manhã de hoje, acompanhado do secretário adjunto de Obras da prefeitura, Gilson Bittencourt, tentar viabilizar áreas para a construção da passagem.

Enquanto isso, foi acordado que seria intensificada a sinalização no trecho para conscientizar os motoristas que trafegam por ali.

Fonte: http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/noticia/2014/10/moradores-do-norte-da-ilha-programam-bloqueio-da-rodovia-sc-401-para-esta-quarta-feira-4630910.html

Motoristas devem ficar atentos a mudanças no Código de Trânsito

Publicado em 29 de outubro de 2014 17:27

Punições podem chegar a R$ 2 mil para motoristas infratores.
Mudanças entrarão em vigor em 1º de novembro.

O Código de Trânsito Brasileiro sofrerá mudanças a partir do próximo sábado (1º) que  vão pesar muito no bolso de quem cometer algumas infrações. Há casos em que o valor pode chegar a quase R$ 2 mil. A proposta foi feita pela Polícia Rodoviária Federal com o objetivo de diminuir o índice de acidentes e mortes nas rodovias. No Alto Tietê teve motorista que não gostou muito da novidade.

A lei federal alterou 11 artigos do código e faz parte do pacote de mudanças legislativas proposto pela PRF para tentar reduzir em 50% o número de mortes no trânsito até 2020. Na prática, isso quer dizer que algumas multas ficam até dez vezes mais caras, são elas: ultrapassar na faixa contínua em pontes, viadutos ou pela direita usando o acostamento que vão passar dos atuais R$ 191 para R$ 957; ultrapassagem forçada, é a que mais vai pesar no bolso do motorista irresponsável, pois o valor vai passar para R$ 1.915.

De acordo com a Polícia Rodoviária, as batidas de frente são as que mais matam nas estradas brasileiras e 90% delas são provocadas por ultrapassgens perigosas.

Para o especialista em trânsito Eliseu Ruiz, mexer no bolso do motorista pode ser uma medida paliativa, mas não garante a eficácia da lei. Ele explica ainda que é necessário um equilíbrio entre a fiscalização e a educação dos motoristas. “Se a fiscalização intensificar, obviamente que nós vamos ter resultados expressivos como ocorreu na Lei Seca, em que tivemos a diminuição de pssoas sendo pegas embriagadas. Porém, se afrouxar a fiscalização nós vamos ter um problema de continuidade porque as pessoas vão se sentir na liberdade de cometer infrações”, comenta.

A legislação também ficou mais rigorosa para crimes de trânsito. Hoje quem é flagrado dirigindo embriagado e machucar ou matar alguém cumpre pena em regime aberto ou semiaberto. “A principal dificuldade de prender alguém é porque os crimes de trânsito são apenados com pena de detenção porque são considerados culposos, não são enquadrados com penas de reclusão. A legislação é mais branda. Exceto se a pessoa usar de forma dolosa, premeditando atropelar alguém. Aí ela seria enquadrada no Código Penal”, diz o advogado Emerson Alex Araújo

Com a nova lei, o motorista que beber pode cumprir pena sem deixar a prisão. Vai dar cadeia também beber, ferir alguém ou participar de racha. Nesse último caso, a multa que hoje é de R$ 575 a partir de novembro passa para R$ 1.915. “Os crimes que foram cometidos antes da vigência da lei não se aplciam à nova lei. Ainda que ele não tenha sido julgado, não será aplicada a nova lei.  Mas os crimes cometidos após a vigência serão punidos com a lei mais rigorosa”, conclui o advogado.

Ainda de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, a partir de novembro, em alguns casos os condutores podem pegar de três a seis anos de prisão. Além disso, o motorista ainda pode ter o direito de dirigir suspenso e o carro apreendido.

Multas curiosas
Na região muitos motoristas desconhecem algumas infrações, por isso, é importante ficar atento na hora de tirar habilitação.

O serralheiro Fernando Donizete da Silva está ansioso para sair dirigindo, após sua primeira aula prática. Ele tem encontrado algumas dificuldades no simulador. “Na hora de mudar a marcha atrapalha um pouco”, comenta.

Atento à sinalização e aos comandos sonoros, Fernando se preocupa em ser um bom motorista. O que ele ainda não sabe muito bem é que alguns comportamentos “errados” no trânsito podem ocasionar multas, como a de molhar um pedrestre, por exemplo. “É complicado porque acontece sem querer, às vezes”, brinca.

A instrutora Alessandra Negreli, que trabalha numa autoescola no Centro de Mogi das Cruzes diz que os alunos são orientados em relação as multas e lembra ainda outras infrações que surpreendem. “Dentre as infrações médias entra a imobilização do veículo por falta de combustível e o condutor dirigir com o braço para fora. É curioso e diferente, porque além da multa são quatro pontos na habilitação, o que não pode acontecer para um condutor na permissão para dirigir”, conta.

Há mais multas curiosas que mexem no bolso e na carteira de habilitação do motorista: não dar passagem pela esquerda quando solicitado (o motorista paga multa de R$ 85,13 e ainda ganha quatro pontos na carteira); estacionar em cima da tampa de bueiro (multa de R$ 85,13 e quatro pontos na carteira); conduzir o veículo sem acionar o limpador quando está chovendo (multa de R$ 127,69 e cinco pontos).

Quando são multados, os condutores geralmente recorrem à Junta Administrativa de Recurso de Infração (Jari). Boa parte dos motoristas reclama de algumas penalidades que sofreram.

Essas multas curiosas ainda não foram registradas na Jari. Segundo o orgão, o que eles mais recebem são aquelas comuns. 40% das multas aplicadas são por causa de estacionamento irregular.

Não foi dificil encontrar essa imprudência. A equipe do Diário TV flagrou na Avenida Fernando Costa, no Centro, três veiculos estacionados em local proibido e bem abaixo da sinalização.

As outras mais comuns são excesso de velocidade, que representa 25%; uso de telefone celular (20%)  e avançar o farol vermelho (15%).

Quanto às multas curiosas, o presidente da Jari faz um alerta. “A educação é tudo. Embora não tenhamos verificado essa multa em regra de defesa, eu classifico muito mais não como um fundo pecuniário do Estado, mas como uma medida pedagógica no objetivo de conscientizar o cidadão, acho que a questão é de cidadania”, conclui Benedito Ballouk.

O motorista também tem seu alerta. “O condutor deveria ser mais orientado sobre este tipo de multa, porque tem multa que a gente não sabe se existe ou não”, diz Francisco Andrade.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2014/10/motoristas-devem-ficar-atentos-mudancas-no-codigo-de-transito.html

PRF prende 65 e autua 252 motoristas por embriaguez após festas no Vale

Publicado em 28 de outubro de 2014 13:07

Polícia divulgou balanço de multas de condutores sob efeito de álcool.
Em 2013, 148 foram multados e 66 presos por misturar bebida e volante.

Durante as festas do mês de outubro em Santa Catarina, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu em flagrante 65 pessoas por dirigirem embriagadas em rodovias federais. O balanço divulgado nesta segunda-feira (27) ainda relata que 252 motoristas foram multados com infração gravíssima de trânsito, por conduzir veículo sob o efeito de álcool, mas não foram detidas.

A operação durou 17 dias, entre 10 e 26 de outubro, e foram feitos 3.207 testes de bafômetro em todo o estado. O foco de fiscalização ocorreu no Vale do Itajaí, onde acontecem festas como a Oktoberfest de Blumenau e a Fenarreco de Brusque. Entre 4 e 20 de outubro de 2013, a PRF também realizou a operação de fiscalização de eventos. Naquele ano, 148 foram multados por embriaguez e 66 presos.

Segundo o inspetor da PRF Luiz Graziano, o número de flagrantes é considerado alto. Neste ano, além do efetivo da PRF, a equipe da Força Nacional e agentes de outros estados da PRF atuaram em conjunto na fiscalização. O reforço veio a Santa Catarina para combater a terceira onda de atentados, mas também auxiliou em ações de rotina.

Mortes no trânsito
De acordo com a PRF, houve uma redução de mortes no trânsito entre 2013 e 2014 durante os períodos de fiscalização. Neste ano, 13 pessoas morreram em acidentes em rodovias federais. No ano passado, foram 25.

“A fiscalização e a repressão a impunidade auxiliam a ter menos imprudências no trânsito”, alega Graziano. Em outubro deste ano, foram registrados 797 acidentes com 491 feridos no período das festas. Em 2013, foram 865 acidentes, com 459 machucados.

Fonte: http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2014/10/prf-prende-65-e-autua-252-motoristas-por-embriaguez-apos-festas-no-vale.html

A pressa ao volante e o uso de bebida alcoólica motivam agressões

Publicado em 24 de outubro de 2014 11:22

Estresse elevado, preocupação no trabalho, briga com a família, pressa, seja qual for o motivo, as brigas no trânsito têm se tornado cada dia mais frequente em todo o país. Já virou rotineiro ver casos de descontrole emocional por parte de condutores, circulando na internet, que resultou em agressões físicas, verbais e até mesmo morte.
O disk 190 de São Paulo registra 70 chamadas diárias por briga de trânsito, uma média de mais de 2mil por mês. Diferente da capital paulista, Salvador não disponibiliza de dados específicos de brigas ou agressões de trânsito. A Polícia Civil e Militar da Bahia informou que os registros contabilizados são de agressões em geral, e não há nenhum estudo ou estáticas de brigas, desentendimentos e agressões no ambiente de trânsito, apesar dos casos serem vistos com frequência nas redes sociais e no dia a dia de quem transita na cidade.
Em Salvador, alguns casos chamaram a atenção, como nos casos do policial civil que atirou em um motociclista e da médica Kátia Vargas, que as investigações indicam que houve briga e perseguição antes da colisão entre o veículo e a moto, que resultou nas mortes dos irmãos Emanuel e Emanuele.
Para o psicopedagogo do Detran-BA (Departamento Nacional de Trânsito), Genésio Souza, os estudos indicam que as pessoas se comportam no trânsito da mesma forma que se comportam nas relações sociais do dia a dia, e o principal motivo é a pressa. “Hoje, com esse ritmo frenético que é a vida moderna, as pessoas assumem muitos compromisso e para dar conta, estão sempre apressadas. Por isso, aconselhamos sair mais cedo de casa e evitar a pressa”, pontuou. Conforme Luide, o espaço do trânsito está cada vez mais disputado e isso também acaba gerando os conflitos. “Temos um espaço cada vez menor em virtude do aumento da frota de veículos e o próprio aumento populacional. É a disputa por uma vaga no estacionamento, por uma posição melhor na saída de um semáforo, e tudo isso ocasiona um conflito. As pessoas se  esquecem de exercitar a gentileza no trânsito, até mesmo das regras básicas da legislação”, afirmou.
Segundo ele, a principal regra é que o maior sempre protege o menor e todos protegem o pedestre, que é o ser mais vulnerável. A maioria dos casos registrados na capital, conforme o Detran, envolvem homens, com idade inferior a 40 anos, que faz uso da bebida alcoólica.
Segundo o psicopedagogo, a banalização da violência é um grande problema. “Hoje se encara a violência como algo natural e não é. Não podemos recorrer à violência como o primeiro recurso, mas ao diálogo que deve ser. As pessoas nem tentam mediar a situação e já se agridem, verbalmente ou fisicamente”, disse.
O major aponta ainda a impunidade como um fator potencializador do uso da violência. Ele aconselha aos condutores não reagir a insultos e provocações. “Não podemos tentar fazer justiça com as próprias mãos. É necessário ter controle e respeito ao outro, e caso ocorra um conflito, é necessário acionar a justiça e prestar queixa”, ressaltou.
Fonte: Tribuna da Bahia

Imprudência no trânsito compromete a segurança das crianças

Publicado em 24 de outubro de 2014 11:21


A cada dia, seis menores morrem e 51 sofrem graves acidentes no País. No Distrito Federal, índice cresceu

Elas são mais frágeis e devem receber proteção extra, mas nem por isso escapam dos acidentes fatais no trânsito, que aumentaram 7% em relação a 2013. Apenas no primeiro semestre do ano, 13 crianças de até nove anos morreram nas 184 colisões que acabaram de forma trágica no Distrito Federal. O número    é igual a todo o quantitativo do ano passado.
E apesar de o Departamento de Trânsito do DF (Detran) não ter dados mais recentes, é possível constatar que o índice aumentou. De julho para cá, houve pelo menos outras três vítimas. O  caso mais recente foi no início do mês passado, quando uma criança de 11 anos morreu próximo à entrada do Gama. Um carro foi passar por um quebra-molas quando foi atingido por outro que trafegava em alta velocidade.
Comparativo
Levantamento da Seguradora Líder, administradora do Seguro de  Danos Pessoais Causados por Veículos (DPVAT) no Brasil, revela que a cada dia, seis crianças morrem e   51 sofrem graves acidentes no País. No DF,  a média é de duas mortes por dia, embora os dados do Detran apontem um número bem menor. A seguradora leva  em consideração indenizações pagas pelo seguro em colisões com menores até 14 anos.
“As crianças não têm culpa da  imprudência  dos adultos mal informados que estão deixando isso acontecer. Isso é horrível. É lógico que existem acidentes inevitáveis, mas 90% são evitáveis. A maioria é uma infração de transito feita de modo consciente e que deu errado”, defende o especialista em trânsito Artur Morais.
Para ele, a conta é clara. Faltam educação, respeito pelas leis e fiscalização. Somados às punições demoradas, esses fatores se refletem nas ruas, nos acidentes e nas vidas perdidas. “Não existe uma política   eficiente para a diminuição de acidentes. O gasto que se tem em educação no trânsito é pífio”, acredita o especialista.
Alta velocidade quase provoca tragédia
“Estava pegando a estrada no sentido Unaí (MG). Chegando em um balão, o cara que estava concluindo invadiu minha faixa e bateu na lateral do meu carro”, lembra a dentista Joenny do Lago, de 29 anos. No banco de trás do veículo lotado estavam seus dois filhos, de dois e três anos. “Faltou pouco para o carro atingir o caçula”, conta.
O estrago foi grande, mas  não passou da lataria. Com o impacto inicial, o retrovisor foi jogado em direção à janela da motorista. E o veículo seguiu atingindo toda a lateral do carro. “Ele vinha muito rápido, com o farol alto, e já pressenti que algo errado poderia acontecer. Ainda tentei desviar, joguei o máximo que dava para o lado, mas não tinha muito espaço”, refaz os passos mentalmente.
Depois do impacto, o motorista imprudente seguiu viagem. “Do jeito que ele bateu, se foi. Não parou sequer pra perguntar se estávamos bem. Poderia ter acontecido uma tragédia”, critica.
O homem nunca foi encontrado. Com a velocidade que estava, nem a placa pôde ser anotada. “Se fugiu não é porque ficou com medo, mas porque estava errado”, avalia o especialista em trânsito Artur Morais.
Joenny lembra que, com o impacto, não teve coragem de olhar para trás e ver o estado das crianças. “Perguntei se estavam todos   bem e, só depois que meu cunhado respondeu, olhei para eles”. Felizmente, o pior não aconteceu e Joenny, sem titubear, diz saber   o motivo: “Foi Deus. Foi um livramento de um acontecimento terrível”.

É preciso orientar desde cedo
Aguardando o sinal abrir para pedestres, Rafaela, de oito anos, segura nas mãos da tia Tatiane Sousa Costa,   35. Mesmo com uma multidão passando entre os carros, preferem esperar. “Por que não atravessar?”, perguntou a sobrinha. “Porque o carro pode vir de repente e atropelar a gente”, ouviu.
Para Tatiane, a estatística de crianças mortas  assusta,  e ela busca fazer a sua parte. Quando sai com a garota, a instrui. “É importante ensinar desde cedo a ser cidadã, a ter educação”, diz.
Com Ana Clara, de dois anos e três meses, no colo, Alexandre Maia, 35, revela que não se sente 100% seguro. Ele conta que sempre foi muito responsável no trânsito e, apesar de muita coisa ter mudado após o nascimento da primogênita, isso não teve alteração.
“Confesso que de vez em quando dou uma bobeada, deixo fora da cadeirinha porque ela reclama, mas sei que é muito importante”, assume. E pondera que é preciso tomar cuidados tanto ao volante quanto ao atravessar as pistas. “Tudo é muito perigoso”, completa.
Lei da Cadeirinha
Em três anos, o número daqueles que desobedeceram a  Lei da Cadeirinha cresceu 94%. Em 2011, foram flagrados 606 casos, contra 1.178 no primeiro semestre deste ano. Nos carros com cinto de três pontos, as crianças de até um ano devem viajar no bebê conforto. Entre um e quatro anos, o transporte passa para a cadeirinha,   presa ao cinto.  Até sete anos e meio, é necessário o assento de elevação.
Susto guardado na memória
No meio de um blecaute que atingiu Águas Claras há quase dois anos, um veículo atingiu uma moto, que voou para o carro em que estavam a bancária Tatiana Rocha, de 36 anos, e sua filha Maria, de sete. A perícia   teria constatado que o impacto se deu quando o automóvel estava a quase 120 quilômetros por hora – o dobro do permitido na via – e tinha uma criança a bordo.
“As luzes apagaram e eu fiquei presa no cruzamento. Os carros começaram a diminuir para a gente poder atravessar”, recorda. O que era para ser solução quase acabou em tragédia. “Um veículo que vinha não percebeu que os outros pisavam no freio e jogou o carro para cima da motocicleta. Ele pegou a moto em cheio pela traseira e a motoqueira voou para cima do nosso carro, ao lado da janela que minha filha estava”, conta.
Apesar do susto, ninguém ficou gravemente ferido no acidente. O carro de Tatiana amorteceu a queda da piloto. A filha ficou abalada, mas não se machucou. Hoje, aos nove, a menina tem medo. “Ela conta a história mil vezes. Toda vez que passa pelo cruzamento, lembra. Pede para ter cuidado”, revela a mãe, ressaltando que Maria também é cuidadosa para atravessar as pistas.
A cautela da garota é  justificada. Segundo dados do DPVAT, 68% do total de crianças de até 14 anos  vítimas de acidentes nos primeiros seis meses deste ano eram pedestres. Dados do Detran revelam que, nesse período, cinco crianças de até nove anos morreram atropeladas no DF – uma a menos que todo o ano de 2013.
Cautela
O especialista em comportamento no trânsito Hartmut Gunther entende que é ainda mais perigoso quando o motorista tem atitudes imprudentes com criança dentro do próprio veículo.
 “Uma coisa é se envolver em um acidente e atingir uma criança que está fora do seu carro. Ninguém sai de casa com esse objetivo e é, como diz o nome, um acidente. Outra coisa é você assumir o risco com um menor que está sob sua responsabilidade”, avalia.
Dicas
1. O cinto de segurança, para a gestante, deve ficar abaixo e não acima da barriga. Esta medida protege mãe e filho.
2. Bebês de até um ano de idade devem ser transportados no banco de trás do carro no bebê conforto. Ele deve ser instalado em posição oposta ao fluxo do carro.
3. Crianças entre um e quatro anos devem ficar na cadeirinha presa com o cinto, no banco de trás, a favor do fluxo do veículo.
4. Aquelas com idade entre quatro e sete anos devem utilizar um assento de elevação no banco traseiro.
5. A partir de sete anos ou 1,45m, a criança pode deixar a cadeirinha, mas utilizando sempre o cinto de segurança no banco traseiro.
6. Crianças só podem utilizar o banco dianteiro a partir dos dez anos.
7. Não transporte crianças no porta-malas, em pé ou no colo de adultos.
8. Utilize a trava de segurança das portas traseiras.
Saiba mais
Segundo a  Organização Mundial da Saúde (OMS), os acidentes de trânsito são a segunda principal causa da morte de crianças e jovens entre cinco anos e 29 anos.
O uso de cadeirinhas diminui em até 70% o número de vítimas. Caso desrespeite a lei, o condutor leva sete pontos na carteira, paga  R$ 191,54 de multa e o veículo é retido.
Segundo os dados oficiais, nos seis primeiros meses deste ano,  48%  das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT envolvendo crianças de até  14 anos foram em decorrência de acidentes com motocicletas e 44% por carros.

 

Fonte: Jornal de Brasília

FCR Advocacia  -  Especializado em direito de trânsito  -  contato@fcradvocacia.com.br  -  47 4101.6817