Arquivo mensais:abril 2015

Servidores em greve do judiciário protestam contra projeto na Alesc

Publicado em 30 de abril de 2015 16:35

Eles pediram que deputados rejeitassem um projeto de lei complementar.

Tribunal de Justiça afirmou que não irá negociar mais com líderes sindicais.

Servidores em greve do judiciário catarinense protestaram na tarde desta quarta-feira (29) na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), em Florianópolis. Em assembleia, realizada com trabalhadores de todo o estado, eles decidiram por manter o movimento, que começou em9 de abril. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) informou nesta quarta o encerramento das tratativas com as lideranças sindicais.

Conforme o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Santa Catarina (Sinjusc), 75 % da categoria aderiu, o que equivale a trabalhadores de 104 das 111 comarcas de todo o estado.

Na Alesc, os servidores pediram que os deputados rejeitassem o Projeto de Lei Complementar (PLC) 5/2015, de autoria do TJ, que concede adicional de nível superior no valor de 50% para os portadores do diploma do curso de Direito que estão em cargos de nível médio.

“Esse projeto vai causar um impacto de R$ 26 milhões. Os servidores preferem, ao invés de gratificações, que esse dinheiro seja usado para dar um aumento real a toda a categoria”, afirmou Cláudio Netto, do comando de greve.

Entrave
De acordo com o presidente do Sinjusc, Laercio Raimundo Bianchi, dois dos três principais itens solicitados para que a greve tenha fim foram atendidos, que são o reajuste do auxílio-alimitação e reposição salarial com valor da inflação.

“Estamos aguardando uma posição do Tribunal para indicar prazos de implementação do novo plano de cargos e salários e também da antecipação de ganho real”, esclarece Bianchi.

O TJSC informou que, nesse período de greve, foram apresentadas as seguintes propostas: reposição integral das perdas salariais (índice de 8,1%); reajuste de valor do vale-alimentação, de R$ 1 mil para R$ 1.160; e comprometimento da administração de encaminhar, em um prazo de 15 dias após o retorno ao trabalho, o novo projeto do plano de cargos e salários para análise do Conselho de Gestão. Esse prazo, inicialmente, era de 45 dias e foi negociado ao longo da paralisação.

De acordo com o TJ, esses três pontos já estão estabelecidos desde o primeiro momento da greve. O maior impasse, porém, é que a categoria pleiteava 16% de ganho real como uma “antecipação” do plano de cargos e salários. Segundo o TJ, não será possível implementar essa medida porque ela esbarra na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Nesta quarta, o TJSC afirmou em nota que como não recebeu informações sobre o retorno ao trabalho por parte dos servidores em assembleia, dissolveu a Comissão de Negociação e encerrou das tratativas com as lideranças sindicais.

Prejuízos
O TJSC suspendeu os prazos estipulados de tramitação de processos de comarcas em que fóruns foram prejudicados pela greve dos servidores do Judiciário. Até a terça (28), 14 cidades estavam na lista de tramitação interrompida.

O sindicato informou que, no entanto, nenhum fórum teve o expediente completamente interrompido. São atendidos os serviços considerados emergenciais, como os relacionados a pensão alimentícia, violência contra mulher, validação de prisões e apreensões de menores.

Fonte: http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2015/04/servidores-em-greve-do-judiciario-protestam-contra-projeto-na-alesc.html

Servidores do TJSC em greve vêm à Assembleia protestar contra PLC

Publicado em 30 de abril de 2015 16:33

Servidores do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) em greve estiveram na tarde desta quarta-feira (29) na Assembleia Legislativa para protestar contra o Projeto de Lei Complementar (PLC) 5/2015, de autoria do TJ, que concede adicional de nível superior no valor de 50% para os portadores do diploma do curso de Direito que estão em cargos de nível médio. Os servidores pediram que os deputados rejeitem a proposta.

Conforme o comando de greve, em assembleia nesta quarta, a categoria rejeitou o teor do PLC por unanimidade. “Esse projeto vai causar um impacto de R$ 26 milhões. Os servidores preferem ao invés de gratificações, que esse dinheiro seja usado para dar um aumento real a toda a categoria”, afirmou Cláudio Netto, do comando de greve.

O assunto foi abordado pelos deputados Dirceu Dresch (PT), Luciane Carminatti (PT), Ismael dos Santos (PSD), Rodrigo Minotto (PDT) e Cesar Valduga (PCdoB), durante a sessão desta quarta. “Vamos realizar uma audiência pública e pedir para o Tribunal de Justiça vir discutir a proposta”, afirmou Luciane. Os servidores do Judiciário estadual estão em greve desde o dia 9 de abril por melhorias salariais e no plano de carreira da categoria.

Magistério
Os professores da rede pública estadual de ensino em greve seguem ocupando o hall da Assembleia Legislativa. Eles estão no local desde a tarde de terça-feira (28); O objetivo do movimento é pressionar o governo a reabrir as negociações com a categoria, da

Fonte: http://www.floripanews.com.br/noticia/7892-servidores-do-tjsc-em-greve-vem-a-assembleia-protestar-contra-plc

Proposta quer aumentar de 15 para 23 o nº de vereadores em Blumenau

Publicado em 30 de abril de 2015 15:44

Câmara deve votar proposta em duas sessões após audiência pública.

Reunião com moradores do município ainda não tem data marcada.

A Câmara de Vereadores de Blumenau, no Vale do Itajaí, estuda a possibilidade de aumentar o número de vereadores de 15 para 23. A proposta de emenda à Lei Orgânica do munícipio foi protocolada dia 14 de abril, mas deve ser votada em Plenário após audiência pública, ainda sem data definida.

“O aumento do número de vereadores é oportunidade de eleger um vereador que é presidente de uma associação de moradores, que é uma pessoa que anda de ônibus, uma pessoa que precisa do serviço público de saúde, que é atendido no postinho, é muito maior. Com 15 vereadores, não temos uma eleição para vereador em Blumenau. A gente acaba tendo uma eleição para deputado estadual, pois temos 220 mil eleitores para apenas 15 vagas na Câmara”, defende o vereador Célio Dias (PR).

Blumenau tem 309 mil habitantes, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pela Constituição Federal, municípios que têm mais de 300 mil habitantes podem ter até 23 vereadores.

No entanto, a justificativa não convenceu todos os vereadores de Blumenau. Para os que são contrários à proposta, aumentar o número de vereadores não garante que os moradores tenham mais representatividade.

“Não garante nada com 23 vereadores. E o vereador é da cidade de Blumenau. Uma vez eleito ele tem que cuidar de toda população blumenauense, legislar e fiscalizar, que é sua função”, afirma o vereador Marco Antônio Wanrowsky (PSDB).

Aumento de gastos
O aumento de despesas éoutra justificativa de quem é contra o projeto. A Câmara pode gastar até 5% da receita líquida anual da prefeitura, o que representa em torno de R$ 26 milhões. Os vereadores de Blumenau costumam devolver aos cofres públicos parte desse valor.

“Não é porque você tem verba que tem que gastar. Se você conseguir fazer mais com menos, é importante para a cidade que esse dinheiro seja devolvido e a prefeitura possa trocar isso por obras e aquilo que a população efetivamente precisa”, defende o presidente da Associação Empresarial de Blumenau, Carlos Tavares d’Amaral.

Conforme o autor da proposta, uma das maneiras de conter os gastos é diminuir também o número de assessores.

“O que a população deseja hoje é que não tenha esse número excessivo de assessores e sim daquele o qual ela possa contar para representá-la”, diz.

A classe empresarial contesta. “Vão ter que reduzir o número de assessores para não aumentar o custo. Então porque não fazem isso já, sem aumentar o número de vereadores para que sobre mais dinheiro”, diz d’Amaral.

Audiência pública
A proposta teve parecer favorável das Comissões de Justiça e de Finanças da Câmara de Vereadores. Ela agora deve ser votada em duas sessões, após a audiência pública que deve ser realizada em maio, mas não tem data definida. Para ser aprovada, dois terços dos vereadores precisam votar a favor.

“O objetivo é que o local desse debate seja fora da sede da Câmara, que é pequena, para possibilitar a participação maior da população. Quanto mais pessoas participarem, melhor a condição de os vereadores tomarem posição e direção de qual voto vão dar”, afirma o presidente da Casa, Mário Hildebrandt (PSD).

Homem é detido ao dirigir embriagado na Escola Agrícola em Blumenau

Publicado em 30 de abril de 2015 15:26

Um homem de 36 anos foi detido após se envolver em um acidente na Rua Benjamin Constant, próximo ao número 176, na madrugada de terça-feira, em Blumenau. Ele conduzia um Peugeot com placas de Blumenau quando foi flagrado pela Guarda Municipal de Trânsito com sinais de embriaguez.

O condutor se negou a fazer o teste do bafômetro e teve o veículo e a carteira de motorista recolhidos. O motorista foi encaminhado a Central de Polícia.

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/transitonovale/2015/04/29/homem-e-detido-ao-dirigir-embriagado-na-escola-agricola-em-blumenau/?topo=52,2,18,,159,77