Advogado acusa vereador mais forte do Brasil de agressão em Peruíbe, SP

Publicado em 25 de maio de 2015 12:15

Vítima sofreu uma lesão cervical após supostamente ter levado um tapa.

Mohai se defende e diz que ação teve motivação política para tumultuar.

O advogado e diretor do Posto de Atendimento ao Trabalhador de Peruíbe, no litoral de São Paulo, Vasni Anunciada da Silva, conhecido como Geleia, acusa o vereador Marcos Mohai (PSDC) de tê-lo agredido, na noite da última quarta-feira (20), dentro da Câmara Municipal.

Segundo testemunhas, Mohai teria ouvido Geleia chamá-lo de ‘caminhão de pedra’, já que ele é considerado homem mais forte do Brasil, por seus títulos nacionais e internacionais no Strongman. Após a suposta agressão, Geleia interrompeu a sessão na Câmara e denunciou o caso, que foi gravado pelo público presente no local. Mohai diz que o ato foi político, já que ele faz parte da oposição.

De acordo com informações apuradas pelo G1, Geleia estava no gabinete do vereador Osvaldo José Pinto, conhecido como Osvaldo do Posto. Durante a conversa, Geleia recebeu uma ligação. No telefone, Geleia teria se referido a Mohai de forma pejorativa. Como o gabinete do vereador fica ao lado da sala onde estava Geleia, Mohai teria saído do gabinete, questionado o homem sobre o adjetivo e, em seguida, agredido o advogado.

“Um cliente me ligou e eu falei que o ‘caminhão de pedra’ havia chegado. Todo mundo apelida o Mohai de ‘cabeça de pedra’. Ele levantou do gabinete dele e me deu uma tapa no pescoço”, conta o advogado.

Após a suposta agressão, Geleia invadiu a sessão dos vereadores, que tratava das investigações da área da saúde do município, e anunciou que tinha sido agredido. Uma das pessoas que estava assistindo a sessão gravou o episódio. “Eu me senti constrangido. Pedi para parar a sessão. Eu expus o que tinha acontecido, minha pressão aumentou. Foi desproporcional o soco que ele me deu. Estou com o pescoço duro”, afirma Geleia.

Mohai se defende. O vereador diz que se sentiu ofendido com o adjetivo dado pelo advogado e foi conversar com ele no gabinete. “Ele me agrediu verbalmente, me chamou de cabeça de pedra. Ele me ofendeu”, argumenta. Mohai não confirmou que agrediu o advogado. “Se eu tivesse dado um soco na cara de alguém, esse alguém nem estaria andando”, disse.

Ainda segundo Mohai, o advogado parou a sessão da câmara municipal para chamar a atenção das pessoas e desviar do foco que, naquela hora, eram as irregularidades que estão sendo apuradas na área da saúde de Peruíbe.

“Ele inventou uma história. Isso não é verdade, foi um fato político. Tinha uma votação importante e eles queriam ganhar voto. Se ele falou que eu o agredi, ele vai ter que provar. Isso é um fato político”, reclamou Mohai.

Após o episódio, Geleia registrou um boletim de ocorrência e passou pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Peruíbe. O médico de plantão atestou que ele sofreu um traumatismo cervical.

O advogado também fez exames no Instituto Médico Legal (IML). Geleia disse que tem testemunhas da agressão e que irá pedir as câmeras de monitoramento interno da Câmara de Peruíbe.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2015/05/advogado-acusa-vereador-mais-forte-do-brasil-de-agressao-em-peruibe-sp.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *